Xeroderma pigmentoso Boa Vista, Roraima

Informações sobre Xeroderma pigmentoso em Boa Vista. Encontre aqui endereços e telefones de médicos especialistas, clínicas e hospitais em Boa Vista, além de artigos sobre Xeroderma pigmentoso.

Centro Auditivo de Roraima
(95) 3624-4777
Avenida Major Williams 2067
Boa Vista, Roraima
 
Cdo - Centro de Diagnóstico Ocular
(95) 3624-1218
Rua Coronel Pinto 397
Boa Vista, Roraima
 
Cecor
(95) 3224-4712
Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, 3497
Boa Vista, Roraima
 
Clínica Mãe de Deus
(95) 3224-0325
Avenida Major Williams 1782
Boa Vista, Roraima
 
Clínica São Mateus
(95) 3623-3999
Avenida Glaycon de Paiva 1056
Boa Vista, Roraima
 
Clínica Pró Mater
(95) 3224-0899
Rua Roberto Costa 78
Boa Vista, Roraima
 
Clínica Monte Gilead
(95) 3625-0219
Rua Solon Rodrigues Pessoa 818 qd 38
Boa Vista, Roraima
 
Galeria Vida
(95) 3624-5033
Avenida Major Williams 1655
Boa Vista, Roraima
 
Clínica Fisiocorpo
(95) 3624-4316
Rua Pedro Rodrigues 1440 s 3
Boa Vista, Roraima
 
Clínica São Luiz
(95) 3224-4963
Avenida Nossa Senhora da Consolata 760
Boa Vista, Roraima
 

Xeroderma pigmentoso, líquen plano, nevo pigmentar e eritroplasias

O xeroderma pigmentoso é conhecido como uma doença de pele (Incapacidade das células epiteliais de reparar os danos induzidos pelas radiações ultravioletas: Câncer de pele) determinadas geneticamente (genodermatose), onde abundantes neoplasias malignas desenvolvem-se em fases muito precoces da vida, apresentando um traço autossômico recessivo.As características clínicas do xeroderma pigmentoso são principalmente:Primeiros anos de vida: queimaduras produzidas pelo sol;Alterações cutâneas: atrofia pigmentação por sardas e áreas de despigmentação;Ceratose actínica;Carcinoma de células escamosas, também aparecendo carcinoma basocelular;Câncer de pele não-melanoma – ocorrência de melanoma em fase tarde em apenas 5% dos casos;Cabeça e pescoço é a região mais afetada.Possibilidade de uma relação consangüínea dos pais da criança;Suas manifestações orais ocorrem antes dos 20 anos, apresentando clinicamente um carcinoma de células escamosas do lábio inferior e da ponta da língua e o diagnóstico é realizado quando o paciente tem suas lesões cutâneas aliviadas.O Tratamento acontece quando na maioria dos casos já ocorreu dano significativo pelas radiações solares antes do diagnóstico; por isso é essencial evitar as radiações solares e luzes fluorescentes não filtradas; uso de protetores e bloqueadores solares e se possível um acompanhamento de um dermatologista para as lesões cutâneas e aconselhamento genético.O Prognóstico é ruim e infelizmente a maioria dos pacientes como xeroderma morrem 30 anos antes do que a população normal.Já o líquen plano é uma doença mucoso-cutânea, Polimorfa, crônica, com períodos de remissão e exarcebação, Ocorre após os 30 anos de idade (20 a 30% dos pacientes apresentam lesões apenas bucais), com etiologia desconhecida e seus fatores desencadeantes ou predisponentes são: tensão nervosa, iatrogenia medicamentosa e diabetes.As transformações malignas do líquen plano ocorrem principalmente nas formas reticulares e hipertróficas (assintomáticas).O tratamento é realizado com corticoides, estabilidade emocional e eliminar irritantes locais.O nevo pigmentar é conhecido como uma anomalia de desenvolvimento, bastante comum na pele, porém raro na mucosa bucal com classificação:IntradérmicoJuncionalComposto;A eritroplasia é identificada como manchas ou mesmo placas eritematosas encontradas na mucosa bucal (assoalho da boca, língua e palato), normalmente assintomática, Ocorrendo mais freqüentemente no sexo masculino (65 a 74 anos) e com etiologia desconhecida.As Características clínicas da eritroplasia são principalmente três:Homogênea: lesão vermelha plana com bordas bem definidasHomogênea associada com áreas leucoplásicas (eritroleucoplasia)Granular: elevada, bordas irregulares entremeando áreas leucoplásicasO tratamento e prognóstico se dar através da emoção cirúrgica com pequena margem de segurança e pode haver recorrênciaREFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASNeville BW, Damm DD, Allen CM, Bouquot JE. Patologia oral & maxilofacial. 2a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2004.Kowalski LP, Nishimoto IN. Epidemiologia do Câncer de Boca. In: Parise Júnior O. Câncer de boca: aspectos básicos e terapêuticos. 1 ed. São Paulo; Editora Sarvier; 2000.Tommasi AF. Diagnóstico em patologia bucal. 3 ed. São Paulo; Editora Pancast; 2002.