Medicina do Sono Maringá, Paraná

Informações sobre Medicina do Sono em Maringá. Encontre aqui endereços e telefones de médicos especialistas, clínicas e hospitais em Maringá, além de artigos sobre Medicina do Sono.

Eloy Cassa Junior
(44) 3262-0609
Rua Neo Alves Martins 3120 (1º andar)
Maringa, Paraná
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Patricia Soledad de Souza
Ruaseo Alves Martins 3176 - 2º Andar
Maringa, Paraná
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Clínica de Neurologia Infantil Maringá
(44) 3025-5764
Avenida Carlos Gomes 294
Maringá, Paraná
 
Clínica Via Clínica
(44) 3028-0075
Rua Neo Alves Martins 2999 s 135
Maringá, Paraná
 
Clínica Médica São José
(44) 3029-2994
Rua Santos Dumont 629
Maringá, Paraná
 
Cristiane Vasconcellos Faria Sung
(44) 3262-4800
Av.Carlos Gomes 386
Maringa, Paraná
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Roberto Parente Junior
(44) 227-7001
Rua Santos Dumont 719
Maringa, Paraná
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Maria Filomena Pontes Coutinho Souza e Cia Ltda
(44) 3031-1958
Rua Neo Alves Martins 3415 - 1 s 404
Maringá, Paraná
 
Clínica Unit
(44) 3031-1751
Avenida Euclides da Cunha 1484
Maringá, Paraná
 
Treinar Clínica Médica e Psicológica
(44) 3024-2292
Avenida Bento Munhoz da Rocha Netto 362
Maringá, Paraná
 
Dados Divulgados por

Medicina do Sono

A Medicina do Sono é hoje um segmento significativo da esfera da saúde; ela se preocupa em investigar o papel do sono na vida do Homem, seus possíveis transtornos e as consequências destas perturbações no cotidiano do ser humano. No mundo pós-moderno o indivíduo está mais que nunca submetido a fortes pressões psíquicas e emocionais, a estresses, depressões e outros tantos distúrbios da mente, o que afeta ainda mais a performance do sono.No estágio atual atingido pela Ciência, já foram diagnosticados mais de oitenta desequilíbrios do sono, entre eles a Insônia, que resulta na diminuição do tempo de repouso; a Narcolepsia e a Apnéia do Sono, as quais provocam uma sonolência excessiva; o famoso ranger de dentes – também conhecido como Bruxismo -, a Incontinência Urinária e a Enurese Noturna – distúrbios que levam a pessoa a urinar enquanto dorme -, o Sonambulismo, o Pesadelo, o Terror Noturno – quando o indivíduo acorda gritando, com uma expressão de terror estampada na face -, o Ronco e o hábito de falar durante o sono – todas estas perturbações acometem o ser humano ao longo do sono, sem afetar sua temporalidade.O sono é definido normalmente como um estágio habitual da consciência humana, que completa o estado em que o ser se encontra quando está acordado ou em vigília. Assim que dorme, o Homem ingressa em uma fase de descanso comum e regular; ao longo deste período há uma interrupção transitória do potencial humano de perceber e sentir os estímulos externos e de toda e qualquer movimentação voluntária.Neste momento entra em ação um mecanismo mobilizador que implica em várias e intrincadas estruturas orgânicas e comportamentais localizadas em distintos pontos do sistema nervoso central. Há dois estágios importantes durante o sono. Um deles é o sono sincronizado, ou NREM, repartido em quatro momentos, os quais se distinguem conforme a amplitude de sua profundidade.O estágio REM – sigla originária da expressão inglesa ‘rapid eyes movement’, ou, no português, rápidos movimentos dos olhos, uma das características deste sono dessincronizado, ao lado da menor extensão e da maior frequência das ondas cerebrais e da fraqueza muscular. Esta é a fase mais popular do nosso sono, pois é associada à ocorrência dos sonhos.No sono de uma pessoa normal estas duas etapas se revezam, em um ciclo constante durante o período noturno; elas reincidem a cada 70 a 110 minutos, somando 4 a 6 ciclos por noite. Alguns elementos podem provocar a mutação da alternação destes estágios, entre eles: a faixa etária mais avançada, o ciclo circadiano, ou seja, relativo à duração de um dia, o uso de substâncias químicas, a temperatura predominante ou a incidência de algumas enfermidades.A insônia é um dos transtornos do sono mais sérios; ela consiste na resistência ao ingresso no período de sonolência; no paciente acordar diversas vezes ao longo da noite; no retorno à vigília em um horário muito precoce, que implica em não voltar a dormir; ou no hábito de repousar o tempo necessário, mas, mesmo assim, despertar como se não tivesse dormido o suficiente. Algumas destas pessoas despertam exaustas, com o corpo dolorido, nervosas, sem ânimo e desprovidas de qualquer humor.Na verdade, a insônia é apenas um sintoma de algo maior, que pode estar concentrado na esfera orgânica, na psíquica ou na social. Crises de ansiedade, depressão e o uso excessivo de álcool podem deflagrar os episódios de insônia, assim como estados de inquietação e preocupação. Ela também pode ser fruto de costumes equivocados praticados no dia-a-dia. Não são poucos os casos de transtornos de ordem genética, o que implica em um legado deixado por alguns membros da família.A história da Medicina no Brasil registra 1977 como o ano no qual foi realizada a primeira consulta ligada à Medicina do Sono neste país. O atendimento ocorreu no Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, e foi conduzido pelo Professor Rubens Reimão; este segmento permanece ativo até hoje, sem nenhuma suspensão em suas atividades desde então.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Terror_noturnohttp://www.sono.org.br/sn_insonia.htmlhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Medicina_do_sono