Imunofluorescência Bragança Paulista, São Paulo

Informações sobre Imunofluorescência em Bragança Paulista. Encontre aqui endereços e telefones de médicos especialistas, clínicas e hospitais em Bragança Paulista, além de artigos sobre Imunofluorescência.

Laboratório Bragança
(11) 4033-2128
Rua Santa Clara 762
Bragança Paulista, São Paulo
 
Labac
(11) 4033-6754
Avenida Antônio Pires Pimentel 1991
Bragança Paulista, São Paulo
 
Cbi - Centro de Bioanálises Integradas
(11) 4033-5320
Rua Coronel Osório 19
Bragança Paulista, São Paulo
 
Unilab Laboratório Clínico
(11) 4412-3367
Rua Castro Fafe 39
Atibaia, São Paulo
 
Laboratório Clima
(11) 4413-4780
Rua Vereador Pedro Tacco 61
Atibaia, São Paulo
 
Core Pesquisas Clínicas
(11) 4033-1371
Avenida Doutor Tancredo de Almeida Neves 171
Bragança Paulista, São Paulo
 
Laboratório de Análises Clínicas Medite
(11) 4033-4997
Avenida Antônio Pires Pimentel 1956
Bragança Paulista, São Paulo
 
Laboratório de Análises Clínicas Atilab
(11) 4402-2043
Rua Bartolomeu Peranovich 336
Atibaia, São Paulo
 
Garcia Costa
(11) 4418-4954
Rua da Bahia 342
Atibaia, São Paulo
 
Quantum Diagnóstico
(11) 4414-8888
Al Professor Lucas Nogueira Garcez 859
Atibaia, São Paulo
 

Imunofluorescência

Imunofluorescência é definida como uma técnica que possibilita a visualização de antígenos nos tecidos ou em suspensões celulares, por meio da utilização de anticorpos específicos, marcados com fluorocromo, capazes de absorverem a luz ultra-violeta (UV), emitindo-a num determinado comprimento de onda, permitindo sua observação ao microscópio de fluorescência (com luz UV).Dentre os fluorocromos mais comumente utilizados estão:Fluresceína (FITC);Rodamina (TRICT).Após os fluoróforos serem excitados por um determinado comprimento de onda, emitem fótons de luz fluorescentes a um comprimento de onda superior.Existem dois tipos distintos de imunofluorescência. São elas:Imunofluorescência direta;Imunofluorescência Indireta;Imunofluorescência DiretaUtiliza-se esta técnica, também conhecida como técnica de camada simples, para detecção de antígenos em amostras clínicas utilizando-se anticorpos marcados com fluorocromos.As etapas deste procedimento compreendem:Fixação do esfregaço da lâmina;Tratamento com anticorpo marcado;Incubação;Lavagem para remover excesso de anticorpos marcados não ligados;Visualização no microscópio fluorescente.As indicações desta técnica são: detecção de vírus, parasitas, antígenos de tumor de amostras ou monocamadas de células do paciente. É utilizado também na identificação da distribuição de um antígeno no interior de um tecido ou compartimento de uma célula.Imunofluorescência IndiretaUtiliza-se este tipo de imunofluorescência, também conhecida como técnica de dupla camada, na detecção de anticorpos no soro do paciente por meio de antígenos fixados em uma lâmina, na qual se aplica primeiramente um anticorpo específico não fluorescente. Por fim, coloca-se um anticorpo fluorescente com especificidade marcada contra determinados antígenos do primeiro anticorpo usado para reagir com o antígeno.Esta técnica tem como vantagem possibilitar uma fluorescência mais evidente, uma vez que os anticorpos fluorescentes associam-se somente aos anticorpos primários, além de permite trabalhar com diversos anticorpos primários específicos para distintos tipos de antígenos, sendo capaz de identificar qual a classe a qual o anticorpo pertence.Habitualmente, a imunofluorescência indireta é utilizada na detecção de auto-anticorpos, e também, na detecção de anticorpos anti-nucleares encontrados no soro de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Imunofluoresc%C3%AAnciahttp://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/6971/imunofluorescenciahttp://www.microrao.com/micronotes/immunofluorescence.pdf