Eletrocardiograma Curitiba, Paraná

Informações sobre Eletrocardiograma em Curitiba. Encontre aqui endereços e telefones de médicos especialistas, clínicas e hospitais em Curitiba, além de artigos sobre Eletrocardiograma.

Vicenlab Laboratório Clínico
(41) 3338-7755
Rua Ângelo Zeni 247
Curitiba, Paraná
 
Diagnóstico da América
(41) 3224-6574
Avenida Visconde de Guarapuava 3293
Curitiba, Paraná
 
Laboratório Dantas
(41) 3018-9202
Rua Izaac Ferreira da Cruz 3899 s 11
Curitiba, Paraná
 
Lacam Laboratório de Análises Clínicas
(41) 3027-1244
Rua Padre Anchieta 1846 lj 2
Curitiba, Paraná
 
Laboratório Osvaldo Zornig
(41) 3042-7767
Rua Shirlei Solange Mantovani 1173
Curitiba, Paraná
 
Laboratório de Análises Clínicas Santa Cruz S/c Ltda
(41) 3332-5733
Avenida Marechal Floriano Peixoto, 3969 Parolin
Curitiba, Paraná
 
Genetika
(41) 232 6838
Al Augusto Stellfeld 1516
Curitiba, Paraná
 
Lanac Laboratório
(41) 3026-8715
Avenida República Argentina 210 - 17 s 1703
Curitiba, Paraná
 
Criscenter Análises Clínicas
(41) 3242-6051
Rua Bruno Filgueira 235
Curitiba, Paraná
 
Laboratório de Análises e Pesquisas Clínicas de Curitiba
(41) 3224-0380
Al Doutor Carlos de Carvalho 846 s 1
Curitiba, Paraná
 

Eletrocardiograma

O eletrocardiograma (ECG) é o meio que possibilita estudar as propriedades do músculo cardíaco por meio de um aparelho conhecido como eletrocardiógrafo. Este, por sua vez, é um galvanômetro (aparelho responsável por medir a diferença de potencial entre dois pontos) que analisa a formação e condução do estímulo cardíaco, através de eletrodos dispostos em certas áreas do corpo. Em outras palavras, os eletrodos capturam a variação cíclica que o coração apresenta durante sua atividade elétrica, devido à variação na quantidade de íons de sódio presentes interna e externamente às células do miocárdio.Este é um exame complementar importante no diagnóstico de diferentes cardiopatias e outras condições, como é o caso do distúrbio eletrolítico.O traçado eletrocardiográfico é formado pelas ondas P, Q, R, S e T, cada uma delas tendo seu significado relacionado com os fenômenos de despolarização e repolarização. Define-se assim:A onda P representa a despolarização atrial;As ondas QRS representam a despolarização ventricular, que ocorre em 3 fases: despolarização septal (onda Q), despolarização das paredes ventriculares (onda R) e despolarização das regiões atrioventriculares (onda S);A onda T representa a repolarização ventricular;A repolarização atrial é camuflada no eletrocardiograma, pois ocorre juntamente à despolarização ventricular.No momento do exame, o paciente deve estar descansando a pelo menos 10 minutos, sem fumar a pelo menos 40 minutos, e também, deve estar calmo. O ambiente onde o paciente se encontra deve estar a uma temperatura agradável. Com o paciente em decúbito dorsal, com as palmas da mão viradas para cima, o técnico deve encontrar os pontos corretos onde os eletrodos devem ser situados e, em seguida, coloca-se um gel de condução nos locais pré-determinados, e também, nos membros, com posterior conexão do eletrocardiógrafo aos eletrodos. Por conseguinte, registra-se o ECG de repouso. Os sinais elétricos podem ser observados com um onciloscópio (instrumento de medida eletrônico que gera um gráfico bi-dimensional), mas normalmente o registro é feito em um papel de registro.O papel de registro é quadriculado e divide-se em pequenos quadrados de 1mm, sendo que cada grupo formado por cinco desses quadrados na horizontal e vertical compreendem um quadrado maior. No eixo horizontal é marcado o tempo; o registro é feito em uma velocidade de 25 mm/seg, com cada pequeno quadrado equivalendo a 0,04 seg, ou seja, um quadrado grande equivale a 0,2 seg. No eixo vertical é marcada a voltagem, com cada quadrado pequeno equivalendo a 0,1 mVolt, ou seja, 10 quadrados pequenos correspondem a 1 mVolt.Fontes:http://www.centrodeestudos.org.br/pdfs/ecg.pdfhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Eletrocardiogramahttp://www.ananec.org/Eletrocardiograma.phpFarmacologia Aplicada à Medicina Veterinária – Helenice de Souza Spinosa, Silvana Lima Górniak e Maria Martha Bernardi; 4° edição. Editora Guanabara Koogan, 2006.